Inventaku
Olá,

Seja bem-vindo a Inventaku .

Caso queira se registrar, clique em ''REGISTRAR-SE''
Se ja for membro clique em ''LOGIN''.

Agradecemos pela visita.

Boa diversão!!
Inventaku

Onde a Criação não tem limites .

Relogio
Parceiros

Parceiros







Membros mais ativos

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

#1 "A" - Assassin 665 Guid - Episódio 1 em 28/8/2012, 12:09 am

Rithi

Moderador
Moderador

avatar
Bem pessoal esse é o Epi. 1 de Assassin 665 Guid! Ideia do Wal q faz os roteiros e eu organizo e reviso (se for a mesma coisa nao me julguem) e nos tiramos a nota "A"! Bem ai está o roteiro junto ao Prólogo!

Prólogo:
Spoiler:
Jazia um rapaz nas ruas sombrias e becos escuros de algum local deserto de Nova York.

-Belix, 28 anos, nacionalidade? Desconhecida. Esse é você, não é, minha presa?
- Falou um homem que havia saído de um dos becos escuros. Ele carregava uma serra elétrica. Usava um casaco cinza chegando as pernas. Uma calça comprida. Podia-se perceber que havia algo de errado com uma de suas pernas.

-Q-quem é v-você? - perguntou o rapaz desarmado com a voz trêmula.

-Seu pior pesadelo. - dito isso, ele liga sua serra elétrica, causando um zumbido ensurdecedor.
A vítima fica de joelhos pedindo piedade vinda da parte do assassino.

-Suas vítimas pediram piedade. Você não deu a elas. Irá sofrer o que elas
sofreram. - nesse instante, a vítima junta as mãos, e, reza.

-Nem rezando. Seus pecados não serão perdoados.

O sangue do morto era jogado para todos os lados. Espirros de sangue. E finalmente, cai no chão. O portador da serra se agacha, e bebe um pouco do sangue da vítima.

- Não é ele. - Se levanta e desaparece na névoa lá formada.

Episódio 1:
Spoiler:
Assassin 665 Guid

Episódio 1

Diário de Rithi, 8/13/2112 "Olá. Sou Rithi. É um milagre estar com você aqui. Por pouco não te matei.”
“Te contarei uma parte da minha vida. Você sentirá meu sofrimento. E descobrirá que há um ser vivente nesse corpo sem alma."

"Não vou lhe contar tudo sobre mim. Algumas coisas devemos guardar para nós mesmos. Mas como você vai ficar quieto no seu canto, não fará mal."

"Bem... Irei começar... Do começo... Da minha vida."

"Sempre fui uma criança mimada, querida por todos. Apesar de meus defeitos, pois fui criado por ricos capitalistas avarentos. Aqueles que não dão nem um centavo."

"Um dia decidiram apelar para a generosidade. Estavam convertidos ao cristianismo. Aqueles malditos pastores buscavam sempre 'tapar' a carteira deles."

"Foi em um desses dias que aconteceu. Um homem estava na porta do casarão. Pedia um prato de comida."

"Meus pais convidaram o danado a entrar na mansão. Ele entrou."

"Eu estava o observando do primeiro andar, na escada. Eu devia ter uns 6 anos naquela época. O cara era um barbudo loiro. Aqueles que lembram os capitões dos filmes de pirata."

"Era nítido que havia uma pistola em seu cinto. Me atemorizei. Eu tinha medo de armas. Coisa de pirralho. Mas quem não tem medo de um estranho armado?"

"Ele passeava os olhos pela mansão, talvez para verificar se havia algo de valor muito estimado."
"Adentrou mais a mansão. Eu era muito inocente para saber suas reais intenções. Mas podia ver malícia em seus olhos."

"Fugi para o meu quarto. Lá deitei, desejando a ausência daquele indíviduo perverso."

"Passei muito tempo lá. Até que ouvi uma zuada... De disparos abafados. Além de alguns gemidos. Saí do quarto e desci a escada apressadamente."

"Cheguei na cozinha. A cena que vi, eu nunca, mas nunca, esqueceria."

"...Meus pais mortos... O cara com uma machadinha na mão. Sacolas... Partes cortadas de carne... Ele iria ocultar os corpos..."

"A adrenalina correu pelo meu corpo. Só o que pude fazer foi gritar e chorarç foi pior. Ele percebeu minha presença. Me perseguiu."

"Corri até o banheiro enquanto as várias lágrimas ameaçavam cair. Cheguei na janela. Era arde. Ele havia chegado."

"Tentei pular. Fui bem sucedido. Mas ele deixou a maldita marca em mim. Perdi uma das pernas."

"Não sofri lesão alguma na queda. Meus pais sempre disseram que eu era uma criança especial. Mas não sabia que tanto. O banheiro ficava no quarto andar."

" Foi também nesse dia que descobri algo que me destinguia de todos os demais seres."

"Chamo de habilidade 6. Mas isso não importa agora. Apenas o 6. É um número que me perseguiu por toda a vida..."

"Não desviarei de assunto. Bem... A partir desse dia, virei Agnóstico. Nenhum Deus dá esperanças."

"Todos os deuses nos alimentam com falsas esperanças. Meus pais eram bastante religioso. Pouco pecavam. E morreram sem razão."

"É apenas isso que tenho a lhe dizer por hoje. Até amanhã. Mais o espera. Ah... Esqueci de dizer. Sou Rithi, o Assassino 665." ...

Bem... é isso!
Obg a todos pelas críticas e elogios!! até o proximo "A"! Epic


__________________________________________________________________________________________________
ZANGETSU!

Hey, vejam meus roteiros:

Okaruto Igaku
Virtual Magic
Mytsug a Era Lendária
Atheist
Ver perfil do usuário http://rrithisousa.blogspot.com

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum