Inventaku
Olá,

Seja bem-vindo a Inventaku .

Caso queira se registrar, clique em ''REGISTRAR-SE''
Se ja for membro clique em ''LOGIN''.

Agradecemos pela visita.

Boa diversão!!
Inventaku

Onde a Criação não tem limites .

Relogio
Parceiros

Parceiros







Membros mais ativos

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

LAST EMAIL (roteiro)

Ir à página : Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 2 de 2]

#1 LAST EMAIL (roteiro) em 5/9/2012, 9:06 pm

Dariks

Usuário Nível 6
Usuário Nível 6

avatar
Relembrando a primeira mensagem :

Sinopse:

"Koburo vive pacificamente em uma cidade normal, tem uma vida tranquila, até que ele chega. Um e-mail chega ao celular de Koburo, cujo conteúdo é uma declaração de suicídio de um indivíduo. Koburo agora corre contra o tempo para evitar que o suicida cometa um erro eterno, em meio dessa confusão lembranças são trazidas à tona."


CAPÍTULO 1:

Caractere 1: Um E-mail


“Sou Koburo, moro em Oiko desde que nasci... conheço todos os habitantes desta cidade, só não garanto que todos eles me conheçam.
“Ultimamente tem chegado muitos imigrantes de Zorotta. Um terremoto devastou a cidade nos últimos meses.
“Aqui, além de ser uma cidade razoavelmente grande, é um lugar muito acolhedor, com suas praças e pessoas alegres.
“Eu amo essa cidade”

O telefone de Koburo toca e ele olha: “Um novo E-mail”
Koburo abre o e-mail.
Koburo (pensa): Número desconhecido...
O e-mail dizia:

“Tirar a vida que me pertence irei.
Marcado às 17 horas o fim está, sem atrasos ou precipitações.
Me ajude, você é a minha última chance.
RTG”


Koburo olha por alguns segundos e relê o pequeno poema.
“Tirar a vida...” “... 17 horas...” “Me ajude...” “Última chance”, essas frases mudaram por completo a vida de Koburo a partir que a informação foi armazenada em sua memória de curto prazo através de suas meras pupilas.
Agora ele suava.
- Será trote de gente que não tem nada pra fazer? - se perguntava Koburo
Mas a frase martelava a sua mente: “Me ajude...”.
Uma buzina de caminhão é tocada no momento em que ele arregala os olhos.
Tinha uma expressão de extremo pavor.
Ele correu sua mão vagarosamente, levando o celular até o bolso direito da jaqueta.
Agora ele andava, ou melhor, andava rápido.
Não. Ele corria.
O pânico, assim como a dúvida, tinha tomado por completo a sua mente.
Ele corria e chorava.

- Por que choro? Pode ser apenas uma infeliz brincadeira... – ele dizia-se, tentando recuperar o autocontrole.
Mas as frases não o deixavam pensar, “Tirar a vida...” “Me ajude...” “Última chance.” “17 horas...”.
Ele ouvia as vozes das pessoas, estavam entrando pelos seus ouvidos aleatoriamente, mas ele só conseguia pensar naquelas frases, “Tirar a vida...” “17 horas...”

Ele parou de repente.

- Não posso ter esse comportamento...
E frase voltava “17 horas...”

- Tenho que pensar com cautela. “17 horas”, sim...
Koburo olha o relógio digital e negro que está preso ao seu pulso: 15:37:12

- Tenho menos de uma hora e meia. Mesmo que haja a dúvida da veracidade do e-mail, eu não posso correr o risco de deixar alguém cometer um erro eterno.
Ele pega o celular no bolso direito de sua jaqueta marrom.

A mensagem ainda está em tela.
Ele analisa com toda a sagacidade.
Decide confiar no conteúdo.
Olha as letras escritas no final do pequenino texto. “RTG”.

- Essa sigla... é o nome de algum lugar...talvez um comércio...não me é estranho... – pensa Koburo.

Ele anda até o final da rua onde há uma loja.
Ele abre a porta da loja e o sininho alarma sua entrada.
A lojinha é constituída por várias estantes, preenchidas por revistas, utensílios e alguns pacotes de alimentos.
O balconista está a discutir com um comprador. A atenção deles não é desviada para Koburo.
Na loja só estão Koburo, uma Funcionária que está em um dos corredores, o Freguês que usa uma jaqueta e boné vermelhos e que mantém o tom de voz alto o suficiente para competir com o Vendedor, que tem uma idade superior à de todos já citados.

- Neste produto está dizendo um preço e o senhor vem me cobrar mais caro! – diz o Freguês mostrando uma lata de ervilhas para o Vendedor.
- O preço foi alterado, o rótulo irias ser mudado depois das 17 horas, entenda! – diz o Vendedor sem se intimidar diante do Freguês.

A frase volta martelar na mente de Koburo, “17 horas...”, e ele olha o relógio de parede da loja: 15:39:53
Isso lhe faz lembrar o seu objetivo.

- Procurar na lista telefônica o local de nome RTG e o seu endereço, ele deve tentar suicidar neste estabelecimento. – pensa Koburo.

Ele anda até uma prateleira giratória e põe a mão sobre uma lista de capa azul e espessura mediana.
Observa a Funcionária que varre o chão da loja.
Ela aparenta uns 26 anos.
Ele a olha e ela o olha. Os olhos dela são cansados e depressivos, tomados por intensas olheiras.
Ele não resiste à tensão e retorna seus olhos para a lista.
Pega a lista e se dirige ao caixa.
Os dois indivíduos continuam a discutir.

- Dane-se a mudança, eu exijo meus direitos! – diz o Freguês.
- Eu também tenho os meus direitos! – diz o Vendedor.

Koburo tenta chamar a atenção do vendedor para poder pagar pela lista.

- Com licença... Com licença eu quero comprar isso... Eu tenho pressa...! – diz Koburo.
Nada. Nem sinal de que algum deles notou a presença do jovem.
- Com licença! – ele diz.
Eles tenta aumentar a voz, mas esta já é baixa por natureza.
- Com licença – Ele tenta novamente com toda a sua paciência.

Neste momento uma linda Jovem sai de trás da loja e vem atender Koburo.
Ele se impressiona com tamanha beleza.

- Me desculpe pelo meu pai. Eles dois discutem pelo menos uma vez por semana – diz a Jovem com sua voz suave e meiga.
-... – Koburo fica sem voz.
-... Sabe, isso é um tipo de amor... – continua Jovem, ficando com o rosto corado.
- Sem problemas... – diz ele depois de certo esforço.
- Eu sou Enny.
- P-prazer, me chamo Koburo. – Ele fica com a face avermelhada.

Eles olham para baixo e tem-se um momento de silêncio.

- Ah, eu vou levar e-essa lista telefônica...
- Ah, sim...

Koburo paga a moça e sai da loja.
Se vira e olha através da vitrine aquela jovem beldade, que também o olhava.
Ela fica vermelha e sorri envergonhada, e ele retribui o sorriso.
Koburo desvia o olhar para o relógio: 15:49:02

- A hora passa rápido quando se tem pressa – pensa Koburo consigo mesmo.

Ele anda até um banco que tem ali perto. O banco fica em frente a uma casa abandonada.
Ele abre a lista e começa a procurar.

- RTG... RTG...

Sua procura é interrompida por um “psiu”.
Ele olha para os lados, e nada.

- RTG... RTG... – ele ignora e continua a sua procura.
- Psiu.

Ele olha para os lados. Nada.

- Espera... – pensa ele.

Koburo se vira e olha a casa abandonada.

- Psiu – ouve-se novamente.
- Calma ai... Essa casa não está abandonada?
- Ei, você no banco!

Koburo se levanta em um pulo e vai se afastando, de costas, da casa.

CAPÍTULO 2:

Caractere 2: Uma Dívida


Koburo olha para o banco e percebe que deixou a lista sobre ele.
- Droga! A lista! – pensa ele
Se aproxima do banco, muito cauteloso, de olho na casa.
Ele está chegando perto...
- Psiu!
- Droga! Será que essa casa foi invadida por fantasmas? – pensa alto o Koburo.
Ele olha para lista na segunda linha página que ficou aberta: “RTG”.
- A-achei...! – pensa ele.
De repente um bêbado se levanta de trás do banco.
- Koburo é você! Tava chamando o cara daqui do banco, não sabia que era você maninho!...
- Nossa que bafo de cachaça – pensa Koburo fazendo um cara de nojo – Naharo... Só podia ser... – diz
- E ai mano tudo em cima?
- O que você quer?
- Cê tem fogo?
- Naharo, você está me devendo 50, cadê o dinheiro?
- Calma carinha! Se Naharo deve, Naharo paga!
- Então por que não me paga agora?
- Eu vou pagar só não tô com a grana agora... Mas a prioridade é o fogo. Tem? – diz Naharo tirando um cigarro do bolso de sua camisa encardida.
- Eu sempre tenho fogo – Koburo diz com um sorriso esboçado no rosto.
Ele coloca a mão no bolso da jaqueta e tira a mão acenando com o dedo do meio.
- Tá aqui seu fogo! – diz Koburo tirando o sorriso do rosto.
- Hei, Koburo, onde estão seus modos?
Koburo pega a lista em cima do banco, marcando a página desejada com o dedo.
Ele sai andando.
- Da próxima vez que nos encontrarmos é melhor que esteja com o dinheiro, se não quem vai te cobrar é polícia.
Koburo continua andando.
- O que há de errado com você? – pensa alto Naharo.
Koburo consegue ouvir.
Koburo para.
- Não sou eu o errado nessa história – diz Koburo.
- Nossa! Ele ouviu! – pensa Naharo com uma expressão de espanto.
- Enquanto uma pessoa está a ponto de tirar a própria vida, vocês estão desperdiçando-as por coisas inúteis, como brigar... Beber e mendigar pela rua. – Koburo bem que queria ter dito isso, mas as palavras não ultrapassaram a fina linha que separa as palavras concretas dos pensamentos.
Koburo continua andando deixando Naharo para trás.
Ele abre a lista e logo vê “RTG”. Olha o endereço: Rua Memorial Ethor.
Ele esbarra em uma pessoa e pede desculpas, mas isto não foi recíproco.
Ele vê o homem indo embora e olha a placa que o tal acabou de ultrapassar.
“Rua Memorial Ethor”
- Nossa, às vezes eu me assusto com o universo... – pensa Koburo.
Ele olha de onde veio.
- Se eu vim de lá... Então o tal RTG deve ser para lá – diz ele olhando em direção ao final da rua. – Sorte que não é em outra cidade ou algo do tipo... – diz ele aliviado.
Koburo continua a andar e percebe uma Velha pedindo esmola. A moça, que estava um pouco mais a frente de Koburo, ignora a Velha.
Koburo olha pra cima, respira fundo e anda em direção a Velha.
- Droga! Por que eu tenho que ser sempre tão bonzinho com as pessoas.
Ele chega perto dela.
- Por favor, meu jovem pode doar-me um pouco que tens?
- Sim senhora – Koburo diz com um grande sorriso – Aqui está – ele coloca a moeda, que já tinha preparado, dentro da caneca de alumínio que a Velha tem em mão.
Koburo sai andando.
- Pelo menos fiz uma boa ação por alguém menos favorecido que eu – diz isso sorrindo.
A Velha olha para dentro da caneca.
- Só isso?! Que miséria!
Koburo para e tira o sorriso que lhe prevalecia anteriormente.
- O QUE HÁ DE ERRADO COM VOCÊS?! – berra isso sem ao menos virar-se para a Velha.
Ele está ofegante.
Todos estão o olhando. Ele abre a lista e a olha para se esconder dos olhares de reprovação dos demais.
Ele anda assim até chegar a um pequeno edifício no final da rua.
“RTG – Seu correio local”
- Ah, então é um lugar onde se recebem e enviam e-mails... – diz Koburo a si mesmo
Ele olha para seu relógio: 16:00:07
- Ainda estou a tempo de salvar a vida de quem está em dúvida entre a vida e a morte... – Pensa Koburo respirando fundo – Estranho ele estar em um correio – diz ele em voz baixa.

CAPÍTULO 3:


Caractere 3: Um Amigo



Começa a chover fraco.
Koburo entra no correio e ao fundo se toca uma música suave.
Só há um Funcionário presente.
Koburo se aproxima.
- O que deseja? Enviar ou receber? – diz o funcionário que parecia energético.
- É meio difícil ser ele, mas eu vou perguntar – pensa Koburo – Eu sou Koburo, foi você q... – diz
- Ah, Koburo! Uma Moça deixou uma correspondência para você!
- Uma Moça?... Que me conhece?!... – pensa Koburo.
- Espera um instante que eu vou ver aqui – diz o Funcionário se abaixando e mexendo em uma caixa.
Koburo olha para uma frase que está escrita em uma faixa presa à parede:
“A salvação só depende de teus atos, de tuas escolhas”
O Funcionário se levanta segurando um envelope.
- Aqui está senhor Koburo – ele entrega o envelope à Koburo – se não for para o senhor, por favor, devolva.
-?
- A Moça que me entregou isso não deu descrição do destinatário, então... Pode não ser o senhor.
- Tudo bem! – diz Koburo dando um sorriso – Qual é o autor daquela frase? – diz apontando para a faixa lida anteriormente...
O funcionário dá uma olhada.
-Ah, não sei, deve ser de algum desses filósofos antigos...
Os dois riem.
Koburo olha o envelope.
- Como era a Moça que lhe entregou isso?
- Ah... – O Funcionário segura o queixo e olha para cima – muito bonita!
- Obrigado!
Koburo diz e sai da loja e fica debaixo da marquise.
- Ohhh! Grande descrição a dele... – pensa.
Koburo abre o envelope e tira um papel com vários caracteres.
- Droga! Está em outra língua!
Koburo olha para ver se acha assinatura. Nada.
- E agora... Aqui na cidade não tem tradutores... A não ser... Hentei... – pensa Koburo.
Ele guarda o e-mail dentro do envelope.
- Ele é um poliglota e trabalha fora do país como professor de línguas. Nesta época do ano ele volta para casa, aqui em Oiko. – pensa ele.
Koburo acena para um taxi e entra no primeiro que para.
- Avenida Hashima, por favor. – diz Koburo ao Taxista.
- Há anos não nos falamos... Desde a morte dos meus pais... – pensa Koburo e um flash de lembrança invade sua cabeça. Há fogo. – como ele deve estar agora? Será que casou e tem filhos? Ou só vive para o emprego?
O táxi dá uma freada brusca.
- Desculpe senhor Koburo... Sabe a chuva atrapalha a visão. Uma criança passou correndo aqui em frente!... – diz o Motorista.
- Sem problemas Kraz – diz Koburo sorrindo.
Kraz vê o envelope na mão de Koburo através do retrovisor.
- Vai visitar alguém senhor Koburo?
- Ah, sim. O Hentei.
- Hentei! Nossa faz tempo que vocês não se vêem! Desde o incidente na ponte 13, não é?
- Sim.
- Diga que mandei um abraço para ele! E meus pêsames também...
- Pêsames? – pensa Koburo.
O carro para.
- Pronto é aqui.
- Quanto que foi?
- Não, não. Essa fica por cortesia da casa, considere como um presente de Natal adiantado! – Kraz sorri.
- Obrigado senhor Kraz! – Koburo retribui o sorriso – Há horas que percebemos que realmente existem pessoas boas. Amigos, uma das velas acesa em meio à escuridão – reflete Koburo olhando o rosto de Kraz.
Koburo corre, cobrindo a cabeça com a jaqueta protegendo com toda a cautela a carta, e para debaixo de uma marquise.
Ele toca a campainha da casa de Hentei.
Pelo vidro fosco percebe-se uma silueta de baixa estatura se aproximando da porta.



Última edição por Dariks em 8/9/2012, 9:47 pm, editado 4 vez(es)

Ver perfil do usuário http://dakayaroshy.blogspot.com

#51 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 13/9/2012, 7:41 pm

Mr Chaos

Usuário Nível 5
Usuário Nível 5


muito FODA! quando sai o próximo? Brilho

Ver perfil do usuário

#52 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 13/9/2012, 7:47 pm

Dariks

Usuário Nível 6
Usuário Nível 6


Mr Chaos escreveu:muito FODA! quando sai o próximo? Brilho

vlw cara Very Happy

Sei lá kkk Vai demorar mais um pouquinho pq terminou o vol 1, mas acho que lá pra sab dom eu posto Cool

Ah e o roteiro de mistério que eu falei que ia fazer, já postei. Ele só meio diferente do normal Constrangido

http://inventaku.forumeiros.com/t443-i-don-t-know-roteiro

Ver perfil do usuário http://dakayaroshy.blogspot.com

#53 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 14/9/2012, 10:42 am

Fujiko

Avaliadores
Avaliadores


cara,seus roteiros são otimos,sera que podia me dar umas dicas Brilho ?

então como eu disse nos outros varios posts,vc é muito bom em escrever roteiros de misterio,suspense tambem tem ai que eu sei eles são realmente fodas cara,vc merece o respeito de todo mundo aqui. Cool

tambem to escrevendo um roteiro de misterio(tentando).

Ver perfil do usuário

#54 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 15/9/2012, 2:18 pm

Dariks

Usuário Nível 6
Usuário Nível 6


Fujiko escreveu:cara,seus roteiros são otimos,sera que podia me dar umas dicas Brilho ?

então como eu disse nos outros varios posts,vc é muito bom em escrever roteiros de misterio,suspense tambem tem ai que eu sei eles são realmente fodas cara,vc merece o respeito de todo mundo aqui. Cool

tambem to escrevendo um roteiro de misterio(tentando).

Vlw cara, te respondi lá MP Cool

Ver perfil do usuário http://dakayaroshy.blogspot.com

#55 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 18/9/2012, 10:17 am

Fujiko

Avaliadores
Avaliadores


cada os proximos caps ? Smile

Ver perfil do usuário

#56 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 18/9/2012, 6:47 pm

Dariks

Usuário Nível 6
Usuário Nível 6


Tá ai, tinha até esqueci do já kkk Constrangido

CAPÍTULO 6:
Caractere 6: Uma Lembrança


Koburo cai no chão e se levanta.

- Stella é a suicida...! – diz ele ainda assustado
Koburo sai correndo e passa por Hentei sem dar a mínima atenção a ele.

- Koburo! Aonde você vai? – Hentei pergunta confuso.

Koburo parece não ouvir.
Ele aperta o botão do elevador, mas este ainda está no térreo.

- ******! – diz Koburo muito nervoso.

Ele olha para o lado e vê uma porta com um desenho de escada.
Koburo corre e entra na porta.

- O que houve com ele? – Hentei pergunta ao Funcionário
- Eu não sei! Ele só estava olhando pelo terceiro telescópio e de repente...! – explica o Funcionário confuso e apreensivo.
- Terceiro telescópio!... – pensa Hentei enquanto olha para o telescópio.

Hentei se aproxima do telescópio e olha por ele.
Vê Stella e sua reação não é melhor do que a de Koburo.

- Stella! Droga, então é ela a suicida?! – diz Hentei e começa a correr pegando o celular e fazendo uma ligação.

Ele olha o relógio: 16:56:32

- ****** de tempo! – pensa ele - Alô...?! – diz ao telefone.

(...)

Koburo está a descer a escada. Muito desesperado ele está.
- Stella... Aff... Stella, por quê?... Stella?! – pensa ele.
Ele começa a se lembrar de sua infância.

[lembrança]

16 anos atrás...
Dia 29 de Janeiro...
Interior de Zorotta...
Dois carros estão estacionados e seis adultos, mais duas crianças, estão paradas em frente a uma casa.

- Nossa a gente não vem aqui desde o ano passado! – diz Hentei
- Puxa, é mesmo! – diz Koburo.
Koburo avista uma menina sentada.
- Ei, aquela não a Stella? – diz Koburo depois de certa análise.
- É sim! Vamos lá! – diz Hentei colocando a mão sobre as sobrancelhas para tapar a luz do sol.
Stella estava sentada debaixo de uma árvore que projetava uma enorme sombra. Ela chorava.
- Nossa! Ela ta chorando! – diz Koburo depois de chegar certa distância de Stella.
- É, deve ser por que a mãe dela tava com uma gripe e morreu a algumas semanas.
- Como que você sabe?
- Ouvi meus pais conversando...

Koburo contrai as sobrancelhas e aumenta a velocidade se seus passos.
Hentei mantêm a mesma velocidade.
Eles chegam perto de Stella.

- Oi Stella! – diz Koburo com um grande sorriso e logo depois Hentei repete o gesto.

Stella, ao perceber que os dois tinham chegado, seca as lágrimas.

- Olá... – diz ela com um olhar triste.
Koburo se senta à esquerda dela e Hentei à direita.

Tem-se um minuto exato de silencio.

- Sabe Stella... – Stella olha para Koburo que acabara de quebrar o silêncio – Quando as tartarugas marinhas ficam grávidas, elas colocam seus ovos na praia e vão embora. Quando os filhotinhos nascem, eles têm de cruzar a areia e entrar no mar, sozinhos. Só alguns conseguem sobreviver às pessoas e animais que pisam e comem eles. Só sobrevivem os que são fortes para seguir... Eu sei que sua mãe foi embora. Mas eu sei que você consegue cruzar a areia. Você é forte!...

Tem-se outro momento de silêncio.
Neste meio tempo Stella olha para Koburo com os olhos arregalados e depois olha para frente apoiando o queixo sobre os braços, que estão sobre as pernas flexionadas.
Ela observa o movimento cuja grama faz com o empurrão do vento.
O silêncio é quebrado por Hentei que se levanta.

- Eu que sou chamado de nerd no colégio e você que fica filosofando?! – diz ele.

Hentei pula em cima de Koburo e eles começam a brincar rolando pela grama. Eles riem.
Stella continua a observar a grama amarelada se movimentando.

- Koburo é gentil – diz ela finalmente

Eles param no mesmo momento.
Hentei por cima e Koburo por baixo.
Koburo olha para Stella e ela sorri.
Koburo fica vermelho.
Hentei começa a rir.

[fim]

Koburo sai do prédio.
Começa a correr pela rua.

- Stella... por quê?! – pensa Koburo.

[Lembrança]

16 anos atrás...
Dia 01 de Fevereiro...
Interior de Zorotta...
Koburo entrega uma flor a Stella.
Stella pega a flor
Stella dá um beijo em Koburo e ele arregala os olhos.

[fim]

Um carro atropela Koburo, mas ele se levanta segurando o braço esquerdo.
O Motorista sai para verificar.

- Me desculpe senhor... O senhor está bem, é que eu não... Perdão...! – diz o Motorista apreensivo.

Koburo ignora e passa pelo motorista sem dá-lo atenção.

- O que há com ele? – diz o motorista vendo Koburo indo embora.

Koburo continua correndo, mas a dor em seu braço dificulta um pouco.

- Droga! Stella...!

[Lembrança]

16 anos atrás...
Dia 4 de Fevereiro...
Interior de Zorotta...
Está chovendo e é noite.
Koburo e seus Pais estão perto do carro deles.
De longe estão Hentei e seus Pais, na casa.

- Vão com cuidado! Daqui a alguns dias nós iremos! – grita um dos Pais de Hentei.
- Sim. Tchau! – grita um dos Pais de Koburo.

Os Pais e Koburo ameaçam a entrar no carro quando Koburo ouve a voz de Stella.

- Espera Koburo!
Ele olha pra trás e ela vem correndo.
- Isso é para você se lembrar de mim sempre... – diz ela entregando algo que ele guarda entre mãos.

Agora ele está dentro do carro e seus Pais dialogam no banco da frente.
Koburo está a jogar um mini game.
Uma luz forte invade o carro e há uma colisão.

(...)

Koburo acorda meio atordoado em uma cama de hospital.
Ele ouve um médico e um policial.

- O acidente foi fatal para os pais... – diz o Médico segurando uma prancheta e preenchendo-a
- É uma pena mesmo, um menino de 10 anos sem os pais. A parte da frente do carro foi destruída por completo, sorte o garoto estar de cinto de segurança no banco de trás... – diz o Policial segurando o seu chapéu em frente ao peito.

Koburo começa a adormecer novamente.
Uma pequena lágrima desce de seu olho.

[fim]

Agora Koburo está correndo e contornando um prédio.
Ao longe ele vê outro prédio e Stella no seu topo.
Ele olha o relógio com certo esforço: 16:59:57

Ver perfil do usuário http://dakayaroshy.blogspot.com

#57 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 21/9/2012, 11:06 am

Fujiko

Avaliadores
Avaliadores


nooooooooooossa vei,ta ficando otimo,quero os proximos caps ein.
esse 6 capitulo ta foda mano,eu senti a emoção na alma mano,vc tem futuro,vc é um daqueles q conquista a pessoa até com um titulo,vc so é mais um grande mestre.
Cool

Ver perfil do usuário

#58 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 21/9/2012, 7:45 pm

Dariks

Usuário Nível 6
Usuário Nível 6


Pow vlw cara Brilho

Ver perfil do usuário http://dakayaroshy.blogspot.com

#59 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 22/9/2012, 2:24 am

Rithi

Moderador
Moderador


to começando a ler agora!
Ta show Sensei!

Ver perfil do usuário http://rrithisousa.blogspot.com

#60 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 22/9/2012, 10:12 am

BarãoVermelho

Administrador
Administrador

avatar
Há! Muito bom! Red8
Eu não costumo apenas comentar dizendo que está foda o roteiro... sempre tenho alguma coisa a falar, mais dessa vez não tenho palavras!
Muito foda cara Red8


__________________________________________________________________________________________________
Olho por olho e o mundo terminará cego
Ver perfil do usuário

#61 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 22/9/2012, 5:04 pm

Dariks

Usuário Nível 6
Usuário Nível 6

avatar
vlw msm caras Very Happy Brilho

Ver perfil do usuário http://dakayaroshy.blogspot.com

#62 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 22/9/2012, 5:05 pm

Fujiko

Avaliadores
Avaliadores

avatar
posta o proximo cap ae.


__________________________________________________________________________________________________
Ver perfil do usuário

#63 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 22/9/2012, 5:19 pm

Dariks

Usuário Nível 6
Usuário Nível 6

avatar
blz, deixa só passar hj e q amanha eu posto Cool

Ver perfil do usuário http://dakayaroshy.blogspot.com

#64 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 22/9/2012, 8:00 pm

Mr Chaos

Usuário Nível 5
Usuário Nível 5

avatar
Nossa tá incrível o mistério.

Quando sai o próximo?

Ver perfil do usuário

#65 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 23/9/2012, 2:27 pm

Dariks

Usuário Nível 6
Usuário Nível 6

avatar
E tá ai, já tá quase acabando a série o/

CAPÍTULO 7:
Caractere 7: Uma Queda

- Stella! – gritou Koburo desesperado.

Em cima do prédio, bem na extremidade estava Stella com um olhar fixo no prédio à sua frente. Sua imagem estava destorcida devido à construção do vidro.

- É assim que eu me sinto – diz Stella para o vento.

O relógio dela desperta e ela olha: 17:00:01
Sem hesitar ela se joga fechando os olhos.
Koburo vê que Stella acaba de se jogar do prédio.
No mesmo momento seus olhos arregalam e ele desmorona, como se algo tivesse arrancado suas pernas naquele momento.

- Não... Stella...! – diz ele com o rosto no asfalto e suas lágrimas descendo.

Com o pouco de energia que lhe restava, ele se ergue com os braços e vê algo ao longe.
Sua expressão triste é substituída por surpresa imensa.
As lágrimas continuavam descontroladamente descendo.

(...)

Stella tomada pela escuridão do interior de suas pálpebras.

- Agora acabou... Essa foi minha última queda... O fim. – pensa ela.

Mas ela abre os olhos assustada por ainda estar viva, e sentir que caiu em algo macio.
Ela caiu em um tipo de colchão de ar gigante.

(...)

Koburo se levanta e continua correndo.

- Ainda não acabou...! – pensa ele – Mas como...? Com a polícia ficou sabendo de tudo...?!

Ele começa a se aproximar e vê Hentei conversando com alguns policiais.

- Hentei... Você conseguiu...! – ele diz bem baixinho por falta de força

Alguns policiais tiram Stella de cima do colchão e a levam até uma cadeira cobrindo-a com um casaco.
Koburo chega perto de Hentei.
Ele está ofegante, suando exageradamente.
Hentei olha para Koburo e Koburo o olha.
Koburo chora mais.

- Ah vamos, para de chorar. Deu tudo certo afinal. – diz Hentei

Koburo seca as lágrimas.

- Hentei... Obrigado.
- Você nunca muda não é? O mesmo moleque de sempre. Claro que não precisa agradecer. Quando vi que era Stella, e o tempo estava acabando, liguei para um amigo da polícia que veio para cá em menos de um minuto – explica Hentei
- Foi bem louca essa correria, não? HEHEHE – diz Koburo já recuperando seu fôlego.
- Como nos velhos tempos amigo... Como antigamente...

Koburo se vira para trás e vê Stella sentada numa cadeira.
Ela parece confusa.

- Vai lá... – diz Hentei

Koburo o olha e recobra a postura.
Ele anda até Stella.
Senta-se em um caixote de madeira que estava próximo dela.

- Deu tudo certo Stella, agora vai dar tudo certo. Você é forte, não precisava apelar para o suicídio – diz ele
quebrando o silêncio.

Stella o olha com o mesmo olhar fixo e confuso.
Koburo a encara.

- Tem algo diferente nela... – pensa ele – Por que você mandou-me o e-mail? – diz Koburo testando-a.
- Escolhi eleatóriamente na lista telefônica. – diz ela sem hesito, sem emoção.

Koburo dá uma risada.

- Entendo.

Ele se levanta

- Ah, isso é seu – diz ele tirando o pingente do pescoço e entregando a Stella, que segura sem nenhuma reação.

Ela fica olhando fixamente para o pingente em suas mãos.
Koburo começa a andar pela rua.
Hentei vê.

- O que houve? - pensa ele.

Koburo caminha com a mente vazia.
Ele não chora. Ele não ri. Só caminha.
Ele vê a Velha Mendiga.

- Jovem me dê um pouco do que tens. – diz ela.

Ele não ouve. Só caminha.
Ele anda até o banco na casa abandonada e se senta.
Dá um sorriso meio triste.

- Minha parte foi feita – diz e abaixa a cabeça, seu sorriso permanece.

(...)

Stella continua olhando para o pingente e os policiais organizando tudo para retirada.
Seus olhos continuam fixos no pingente. Os policiais esvaziam o colchão.
Seus olhos continuam fixos no pingente. Um policial se aproxima dela.

- Te levaremos a uma clínica médica após o fim da organização. Fique tranqüila Stella.

Ela parece nem ouvir. Seus olhos continuam frios, sem emoção.
Seus olhos continuam vidrados no pingente.
Então a expressão de Stella muda por completo. Seus olhos, ainda vidrados, se arregalam. Parece que ela acaba de acordar para o mundo real.

- Koburo...! – diz ela, finalmente, ainda olhando o pingente.

Ver perfil do usuário http://dakayaroshy.blogspot.com

#66 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 24/9/2012, 8:43 am

Fujiko

Avaliadores
Avaliadores

avatar
cara,ta cada vez ficando melhor,estou curioso para ver o proximo capitulo,simplesmente foda.proximo cap ein


__________________________________________________________________________________________________
Ver perfil do usuário

#67 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 24/9/2012, 9:43 am

konor

Administrador
Administrador

avatar
cara voce escreve bem!da pra entender todo seu roteiro sem difivuldades de leitura parabens cara


__________________________________________________________________________________________________
Ver perfil do usuário

#68 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 24/9/2012, 3:27 pm

Dariks

Usuário Nível 6
Usuário Nível 6

avatar
Po, vlw msm pessoal Like a Star @ heaven

Ver perfil do usuário http://dakayaroshy.blogspot.com

#69 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 24/9/2012, 6:10 pm

Mr Chaos

Usuário Nível 5
Usuário Nível 5

avatar
Muito demais!

Estou ansioso pelo final.

Ver perfil do usuário

#70 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 2/10/2012, 7:50 pm

Dariks

Usuário Nível 6
Usuário Nível 6

avatar
Desculpem pela demora, mas tá ai o Capítulo 8...

O próximo capítulo é o final e depois tem um cap especial...

Spoiler:
Caractere 8: Um Pingente


- Koburo...! E-Eu me lembro... – diz Stella

[lembrança]

16 anos atrás...
Dia 8 de Janeiro...
Interior de Zorotta...
Uma casa rosa.
Stella, ainda criança, 10 anos, está no corredor ao lado de seu Pai. Eles andam em direção ao quarto em que sua Mãe está.
Chegam à porta.

- Pai, sinto cheiro forte de rosas. – diz Stella
- Sim minha filha... – o Pai dela está chorando por trás de seus óculos.
- Crianças especiais como você Stella são capazes de sentir o que nós adultos não podemos. – diz a Mãe de Stella.

O quarto em que ela está é meio escuro. As únicas fontes de luz são a porta e as frestas que a cortina não consegue cobrir a janela aberta.
Stella olha para o seu Pai e ele acena com a cabeça positivamente. E acena com as mãos mandando que Stella vá até sua Mãe.

- Vai lá Stella – diz ele baixinho.

Stella anda até sua Mãe.
Sua mãe dá um sorriso.

- Eu sou uma criança especial mãe? – pergunta Stella
- Sim, muito, eu também senti, quando pequena, o cheiro de rosas quando minha vovó estava muito doente. Pouco antes de ela falecer...
- Mãe, a senhora está pálida!
- Não se preocupe com isso Stella, é por causa dessa gripezinha passageira. – a Mãe da Stella diz e começa tossir cobrindo o rosto com o lençol.
- Mãe, a aqui ta sujo... – Stella aponta para o canto da boca.

A Mãe pega um lenço e limpa.

- Sangue?! – pensa ela
- Está tudo bem mãe?
- Sim, filha, está... – A Mãe tosse novamente cobrindo a boca com um lenço, ela olha e o lenço está sujo de sangue – está tudo bem – ela dá um sorriso.

Agora ela fica séria.
Tira o cordão e coloca em Stella.

- Stella. Isso é um pingente que é um amuleto mágico. Ele protegerá a pessoa que usá-lo, de todo o mal.

Stella pega o pingente e fica olhando a imagem nele. Ela não entende.
A Mãe segura a mão desocupada de Stella.

- Ele só funciona se for passado para pessoa que você ama. Então só dê este pingente para pessoa que você mais amar neste mundo.

Stella continua olhando o pingente.

- Stella... Eu te amo... – diz a Mãe.

Essas foram suas ultimas palavras.

O vento movimenta a cortina, fazendo com que ela se levante para dentro, e o quarto é todo iluminado pela luz que passa pela janela

A cortina retorna para seu lugar de normalidade.

Stella olha para mãe e vê que ela fechou os olhos.

- Mãe, você está dormindo? Sua boca está suja de novo... – diz ela apontando por um filete de sangue que escorre pelo canto da boca da Mãe.

O Pai, que tinha ido beber água, volta e vê a Mãe desacordada, com a mancha de sangue.
Ele tem uma expressão de horror e uma lágrima desce de seus olhos novamente.

- Não! – grita ele enquanto corre para cima da Mãe.

[fim]

- Agora eu acordei... Koburo – ela diz com um ar assustado e ainda confuso.

Hentei ao longe conversa com um Médico.

- Parece que ela teve um surto psicótico. Talvez por algum trauma, ou algo do gênero. – diz o Médico
- Entendo... – diz Hentei dando uma rápida olhada em Stella que está sentada na cadeira ao longe, olhando o pingente.
- Koburo foi você que me salvou de novo... e eu...

[lembrança]

16 anos atrás...
Dia 4 de Fevereiro...
Interior de Zorotta...
Todos se despedem de Koburo e seus Pais.
Stella olha para o pingente que está pendurado em seu pescoço.
Ela lembra sua mãe dizendo "... dê este pingente para pessoa que você mais amar neste mundo..."
Stella sai correndo em direção a Koburo.

- Stella, volta aqui – diz o Pai dela.

Stella ignora.

- Koburo! – grita ela.

Koburo a olha e dá um sorriso.

- Isso é para você se lembrar de mim para sempre... – diz ela entregando o pingente na mão de Koburo.

Ele olha o pingente.

[fim]

-... Koburo, você confiou em mim... – Stella se levanta e anda em direção a escadaria do prédio de que acabara de pular. Ninguém a vê - ... E eu te decepcionei...

[lembrança]

Koburo no carro jogando mini game.
Uma luz intensa invade o carro.
O pingente brilha com a luz.

[fim]

- Como pude me esquecer de algo tão importante?... Como?... – diz ela enquanto sobe as escadarias.

“Qual será o próximo passo de Stella?”

“Próximo capítulo: Um Último E-mail”

“Independentemente de nós, o tempo continua seu rumo ao infinito”

Ver perfil do usuário http://dakayaroshy.blogspot.com

#71 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 2/10/2012, 9:39 pm

Mr Chaos

Usuário Nível 5
Usuário Nível 5

avatar
Está incrível, pena que já vai acabar Sad



PS: Posta o mangá depois.

Ver perfil do usuário

#72 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 2/10/2012, 9:52 pm

Dariks

Usuário Nível 6
Usuário Nível 6

avatar
Vlw cara... Tomara que vc ñ odeiem o final kkk

O mangá tá paradão, só fiz o manuscrito da metade do primeiro cap to paradão... Mas assim que eu terminar eu mostro procês ae Very Happy

Ver perfil do usuário http://dakayaroshy.blogspot.com

#73 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 2/10/2012, 10:47 pm

BarãoVermelho

Administrador
Administrador

avatar
De Padão não tem nada Red8 , acho que já falei que eu não gosto de comentar um trabalho apenas para dizer que está bom... Mais quando o trabalho é merecido me sinto na obrigação, muito bom Dariks está Foda demais Red8


__________________________________________________________________________________________________
Olho por olho e o mundo terminará cego
Ver perfil do usuário

#74 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 3/10/2012, 10:25 am

Fujiko

Avaliadores
Avaliadores

avatar
cara,esta muito foda mano,com já disse nos outros coments,seus roteiros conquistam quem os lê ,FICOU FODASTICO MANO.


__________________________________________________________________________________________________
Ver perfil do usuário

#75 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 3/10/2012, 11:30 am

Dariks

Usuário Nível 6
Usuário Nível 6

avatar
Vlw mesmo pessoal Brilho

Ver perfil do usuário http://dakayaroshy.blogspot.com

#76 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 24/10/2012, 2:13 pm

Dariks

Usuário Nível 6
Usuário Nível 6

avatar
E o último capítulo capítulo para vocês(?)




CAPÍTULO 9:

Caractere 9: Um Último E-mail


Os pés de Stella sobem as escadas.
Koburo está sentado no banco, que não fica muito longe do prédio donde Stella se jogara.
Ele pega o celular que está em seu bolso e escolhe a opção de excluir todos os e-mails.
Ele confirma a operação. “E-mails excluídos com sucesso” é a mensagem que aparece.
Ele pressiona o botão para voltar a tela inicial.
Com o celular ainda em mãos, ele abaixa a cabeça e suspira.
O celular toca. Ele olha.

“Um novo e-mail”

- Droga! Acabei de limpar a caixa de entrada de e-mails! – pensa ele.

Ele abre o e-mail.

- Número desconhecido – pensa ele.

Estava escrito:


“Perdão, você é uma pessoa importante e eu
não poderia me esquecer de você.

Desculpe-me pela decepção.

Obrigada por tudo, você sempre me incentivou.

Agora só me resta dizer ADEUS”


Koburo relê como de costume. “Perdão...” “Obrigada por tudo...” “ADEUS”.

“ADEUS... ADEUS... ADEUS... ADEUS”

Ele entendeu a mensagem.

- Ela vai tentar de novo! – Koburo diz para si.
Ele coloca o celular no bolso se levanta e corre como se sua vida dependesse de correr. A vida dele não, mas a de Stella sim.

(...)

Stella larga o celular. Ele cai no chão
Estava escrito “E-mail enviado com sucesso”
Começa a chover repentinamente.
Ela começa a andar em direção a beira do prédio.

(...)

Koburo corre desesperadamente.

- Não Stella! O que houve?!... – pensa ele – O que fez você se lembrar?!
Ele se lembra dela falando enquanto eles eram pequenos.

[lembrança]

- Isso é para você sempre se lembrar de mim – diz Stella.
Koburo olha o pingente

[fim]

- O pingente! – ele se lembra.
Ele continua correndo e vê o prédio ao longe.

(...)

Stella continua andando e sobe no muro que separa o prédio do vazio do ar.

(...)

Koburo está subindo as escadas.
Hentei vê o acontecido.

- Por que Koburo está subindo o prédio? – pensa ele.

Então Hentei percebe que Stella está em lugar nenhum.

- Merda! Policia a Stella vai tentar pular de novo! – grita ele e começa a correr em direção ao prédio e dois policiais o seguem.

(...)

Stella está a ponto de pular.

- Agora é o fim. Só me resta o vazio sombrio e gélido da morte. Koburo... Hentei... – Ela se lembra do rosto de Hentei e Koburo rindo quando crianças - Adeus... – diz ela ao vazio.
- STELLA! – grita Koburo.

Ela vira-se para trás.

- Não faça isso – diz ele ofegante, continua a chuva que parece ficar mais forte – Não vale a pena. Ainda há tempo. Você é forte! – diz ele.

[Lembrança]

- Eu confio em você. Você é forte! – diz Koburo

Stella arregala os olhos com uma expressão de surpresa.

[fim]

Stella está com os olhos arregalados, com a mesma expressão que quando menina.
Ela fica com os olhos preenchidos por lágrimas.
Começa a chorar.

- Eu ainda acredito em você. Tudo tem volta. Você ainda é forte - diz ele por fim.
- Perdoe-me, eu não queria ter me esquecido. Eu não sou forte como você disse, eu não mereço sua confiabilidade. Você é importante para mim. E-eu t... – diz ela, mas é interrompida por um algo.

Ela ameaça a voltar, mas seu pé escorrega e ela tomba para trás.
Koburo se antecipa e segura ela pelo braço a puxando para dentro.
Os dois caem ajoelhados abraçados.

“A chuva leva as mágoas e ressentimentos. Permanece o essencial. O invisível.”

“As águas da chuva misturam-se com as lágrimas de ambos.”

Hentei com os policiais chegam ao terraço.
- Pode deixar. Ele a salvou novamente. – Hentei diz sorrindo.

Continua a chover.

“A chuva está a assear. Este não é o Fim.”

“Último capítulo: Uma Fotografia”

“O tempo irá sempre prosseguir, mesmo que a chuva não regue os mortais”

Depois ainda tem o cap 10 que é tipo um "especial"...



Última edição por Dariks em 26/10/2012, 7:51 pm, editado 2 vez(es)

Ver perfil do usuário http://dakayaroshy.blogspot.com

#77 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 24/10/2012, 4:27 pm

konor

Administrador
Administrador

avatar
e.e que comerciais?


__________________________________________________________________________________________________
Ver perfil do usuário

#78 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 24/10/2012, 5:05 pm

senkai shurato

Usuário Nível 0
Usuário Nível 0

avatar
fico feliz por ver meu nome aki pedindo pra que eu veja o seu roteiro . ok vou ler auguns ..

Ver perfil do usuário

#79 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 24/10/2012, 5:12 pm

senkai shurato

Usuário Nível 0
Usuário Nível 0

avatar
mais so espero que vc ache que sou dono da ANIMA MUNDI

sou dono do ANIME MUNDI

Ver perfil do usuário

#80 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 26/10/2012, 7:49 am

Fujiko

Avaliadores
Avaliadores

avatar
double post senkai shurato


__________________________________________________________________________________________________
Ver perfil do usuário

#81 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 26/10/2012, 7:53 pm

Dariks

Usuário Nível 6
Usuário Nível 6

avatar
Pronto, terminaram os comerciais... Atualizei aquele posto com o capítulo... nada

Espero não decepcionar vcs Constrangido Constrangido

Ver perfil do usuário http://dakayaroshy.blogspot.com

#82 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 27/10/2012, 7:53 am

senkai shurato

Usuário Nível 0
Usuário Nível 0

avatar
muito bom seus roteiros vc esta de parabens ..
em breve vai ter um concurso na minha rede social . assim que ele for aberta ao publico
vou ver se consigo fazer esse projeto com o dark o dono desse forum .
ira ter premio para o melhor roteirista ....

Ver perfil do usuário

#83 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 27/10/2012, 11:21 am

Fujiko

Avaliadores
Avaliadores

avatar
nossa dariks,não tem como enjoar dos seus roteiros,são muito fodas msm,parabens.


__________________________________________________________________________________________________
Ver perfil do usuário

#84 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 27/10/2012, 6:07 pm

Dariks

Usuário Nível 6
Usuário Nível 6

avatar
Poh, vlw pessoal... Então o final agradou?! Por essa eu não esperava o.o

Ver perfil do usuário http://dakayaroshy.blogspot.com

#85 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 10/12/2012, 9:38 am

Yuu }i{

Usuário Nível 4
Usuário Nível 4

avatar
Dariks escreveu:Sinopse:

"Koburo vive pacificamente em uma cidade normal, tem uma vida tranquila, até que ele chega. Um e-mail chega ao celular de Koburo, cujo conteúdo é uma declaração de suicídio de um indivíduo. Koburo agora corre contra o tempo para evitar que o suicida cometa um erro eterno, em meio dessa confusão lembranças são trazidas à tona."


CAPÍTULO 1:


Caractere 1: Um E-mail


“Sou Koburo, moro em Oiko desde que nasci... conheço todos os habitantes desta cidade, só não garanto que todos eles me conheçam.
“Ultimamente tem chegado muitos imigrantes de Zorotta. Um terremoto devastou a cidade nos últimos meses.
“Aqui, além de ser uma cidade razoavelmente grande, é um lugar muito acolhedor, com suas praças e pessoas alegres.
“Eu amo essa cidade”

O telefone de Koburo toca e ele olha: “Um novo E-mail”
Koburo abre o e-mail.
Koburo (pensa): Número desconhecido...
O e-mail dizia:

“Tirar a vida que me pertence irei.
Marcado às 17 horas o fim está, sem atrasos ou precipitações.
Me ajude, você é a minha última chance.
RTG”


Koburo olha por alguns segundos e relê o pequeno poema.
“Tirar a vida...” “... 17 horas...” “Me ajude...” “Última chance”, essas frases mudaram por completo a vida de Koburo a partir que a informação foi armazenada em sua memória de curto prazo através de suas meras pupilas.
Agora ele suava.
- Será trote de gente que não tem nada pra fazer? - se perguntava Koburo
Mas a frase martelava a sua mente: “Me ajude...”.
Uma buzina de caminhão é tocada no momento em que ele arregala os olhos.
Tinha uma expressão de extremo pavor.
Ele correu sua mão vagarosamente, levando o celular até o bolso direito da jaqueta.
Agora ele andava, ou melhor, andava rápido.
Não. Ele corria.
O pânico, assim como a dúvida, tinha tomado por completo a sua mente.
Ele corria e chorava.

- Por que choro? Pode ser apenas uma infeliz brincadeira... – ele dizia-se, tentando recuperar o autocontrole.
Mas as frases não o deixavam pensar, “Tirar a vida...” “Me ajude...” “Última chance.” “17 horas...”.
Ele ouvia as vozes das pessoas, estavam entrando pelos seus ouvidos aleatoriamente, mas ele só conseguia pensar naquelas frases, “Tirar a vida...” “17 horas...”

Ele parou de repente.

- Não posso ter esse comportamento...
E frase voltava “17 horas...”

- Tenho que pensar com cautela. “17 horas”, sim...
Koburo olha o relógio digital e negro que está preso ao seu pulso: 15:37:12

- Tenho menos de uma hora e meia. Mesmo que haja a dúvida da veracidade do e-mail, eu não posso correr o risco de deixar alguém cometer um erro eterno.
Ele pega o celular no bolso direito de sua jaqueta marrom.

A mensagem ainda está em tela.
Ele analisa com toda a sagacidade.
Decide confiar no conteúdo.
Olha as letras escritas no final do pequenino texto. “RTG”.

- Essa sigla... é o nome de algum lugar...talvez um comércio...não me é estranho... – pensa Koburo.

Ele anda até o final da rua onde há uma loja.
Ele abre a porta da loja e o sininho alarma sua entrada.
A lojinha é constituída por várias estantes, preenchidas por revistas, utensílios e alguns pacotes de alimentos.
O balconista está a discutir com um comprador. A atenção deles não é desviada para Koburo.
Na loja só estão Koburo, uma Funcionária que está em um dos corredores, o Freguês que usa uma jaqueta e boné vermelhos e que mantém o tom de voz alto o suficiente para competir com o Vendedor, que tem uma idade superior à de todos já citados.

- Neste produto está dizendo um preço e o senhor vem me cobrar mais caro! – diz o Freguês mostrando uma lata de ervilhas para o Vendedor.
- O preço foi alterado, o rótulo irias ser mudado depois das 17 horas, entenda! – diz o Vendedor sem se intimidar diante do Freguês.

A frase volta martelar na mente de Koburo, “17 horas...”, e ele olha o relógio de parede da loja: 15:39:53
Isso lhe faz lembrar o seu objetivo.

- Procurar na lista telefônica o local de nome RTG e o seu endereço, ele deve tentar suicidar neste estabelecimento. – pensa Koburo.

Ele anda até uma prateleira giratória e põe a mão sobre uma lista de capa azul e espessura mediana.
Observa a Funcionária que varre o chão da loja.
Ela aparenta uns 26 anos.
Ele a olha e ela o olha. Os olhos dela são cansados e depressivos, tomados por intensas olheiras.
Ele não resiste à tensão e retorna seus olhos para a lista.
Pega a lista e se dirige ao caixa.
Os dois indivíduos continuam a discutir.

- Dane-se a mudança, eu exijo meus direitos! – diz o Freguês.
- Eu também tenho os meus direitos! – diz o Vendedor.

Koburo tenta chamar a atenção do vendedor para poder pagar pela lista.

- Com licença... Com licença eu quero comprar isso... Eu tenho pressa...! – diz Koburo.
Nada. Nem sinal de que algum deles notou a presença do jovem.
- Com licença! – ele diz.
Eles tenta aumentar a voz, mas esta já é baixa por natureza.
- Com licença – Ele tenta novamente com toda a sua paciência.

Neste momento uma linda Jovem sai de trás da loja e vem atender Koburo.
Ele se impressiona com tamanha beleza.

- Me desculpe pelo meu pai. Eles dois discutem pelo menos uma vez por semana – diz a Jovem com sua voz suave e meiga.
-... – Koburo fica sem voz.
-... Sabe, isso é um tipo de amor... – continua Jovem, ficando com o rosto corado.
- Sem problemas... – diz ele depois de certo esforço.
- Eu sou Enny.
- P-prazer, me chamo Koburo. – Ele fica com a face avermelhada.

Eles olham para baixo e tem-se um momento de silêncio.

- Ah, eu vou levar e-essa lista telefônica...
- Ah, sim...

Koburo paga a moça e sai da loja.
Se vira e olha através da vitrine aquela jovem beldade, que também o olhava.
Ela fica vermelha e sorri envergonhada, e ele retribui o sorriso.
Koburo desvia o olhar para o relógio: 15:49:02

- A hora passa rápido quando se tem pressa – pensa Koburo consigo mesmo.

Ele anda até um banco que tem ali perto. O banco fica em frente a uma casa abandonada.
Ele abre a lista e começa a procurar.

- RTG... RTG...

Sua procura é interrompida por um “psiu”.
Ele olha para os lados, e nada.

- RTG... RTG... – ele ignora e continua a sua procura.
- Psiu.

Ele olha para os lados. Nada.

- Espera... – pensa ele.

Koburo se vira e olha a casa abandonada.

- Psiu – ouve-se novamente.
- Calma ai... Essa casa não está abandonada?
- Ei, você no banco!

Koburo se levanta em um pulo e vai se afastando, de costas, da casa.

CAPÍTULO 2:


Caractere 2: Uma Dívida


Koburo olha para o banco e percebe que deixou a lista sobre ele.
- Droga! A lista! – pensa ele
Se aproxima do banco, muito cauteloso, de olho na casa.
Ele está chegando perto...
- Psiu!
- Droga! Será que essa casa foi invadida por fantasmas? – pensa alto o Koburo.
Ele olha para lista na segunda linha página que ficou aberta: “RTG”.
- A-achei...! – pensa ele.
De repente um bêbado se levanta de trás do banco.
- Koburo é você! Tava chamando o cara daqui do banco, não sabia que era você maninho!...
- Nossa que bafo de cachaça – pensa Koburo fazendo um cara de nojo – Naharo... Só podia ser... – diz
- E ai mano tudo em cima?
- O que você quer?
- Cê tem fogo?
- Naharo, você está me devendo 50, cadê o dinheiro?
- Calma carinha! Se Naharo deve, Naharo paga!
- Então por que não me paga agora?
- Eu vou pagar só não tô com a grana agora... Mas a prioridade é o fogo. Tem? – diz Naharo tirando um cigarro do bolso de sua camisa encardida.
- Eu sempre tenho fogo – Koburo diz com um sorriso esboçado no rosto.
Ele coloca a mão no bolso da jaqueta e tira a mão acenando com o dedo do meio.
- Tá aqui seu fogo! – diz Koburo tirando o sorriso do rosto.
- Hei, Koburo, onde estão seus modos?
Koburo pega a lista em cima do banco, marcando a página desejada com o dedo.
Ele sai andando.
- Da próxima vez que nos encontrarmos é melhor que esteja com o dinheiro, se não quem vai te cobrar é polícia.
Koburo continua andando.
- O que há de errado com você? – pensa alto Naharo.
Koburo consegue ouvir.
Koburo para.
- Não sou eu o errado nessa história – diz Koburo.
- Nossa! Ele ouviu! – pensa Naharo com uma expressão de espanto.
- Enquanto uma pessoa está a ponto de tirar a própria vida, vocês estão desperdiçando-as por coisas inúteis, como brigar... Beber e mendigar pela rua. – Koburo bem que queria ter dito isso, mas as palavras não ultrapassaram a fina linha que separa as palavras concretas dos pensamentos.
Koburo continua andando deixando Naharo para trás.
Ele abre a lista e logo vê “RTG”. Olha o endereço: Rua Memorial Ethor.
Ele esbarra em uma pessoa e pede desculpas, mas isto não foi recíproco.
Ele vê o homem indo embora e olha a placa que o tal acabou de ultrapassar.
“Rua Memorial Ethor”
- Nossa, às vezes eu me assusto com o universo... – pensa Koburo.
Ele olha de onde veio.
- Se eu vim de lá... Então o tal RTG deve ser para lá – diz ele olhando em direção ao final da rua. – Sorte que não é em outra cidade ou algo do tipo... – diz ele aliviado.
Koburo continua a andar e percebe uma Velha pedindo esmola. A moça, que estava um pouco mais a frente de Koburo, ignora a Velha.
Koburo olha pra cima, respira fundo e anda em direção a Velha.
- Droga! Por que eu tenho que ser sempre tão bonzinho com as pessoas.
Ele chega perto dela.
- Por favor, meu jovem pode doar-me um pouco que tens?
- Sim senhora – Koburo diz com um grande sorriso – Aqui está – ele coloca a moeda, que já tinha preparado, dentro da caneca de alumínio que a Velha tem em mão.
Koburo sai andando.
- Pelo menos fiz uma boa ação por alguém menos favorecido que eu – diz isso sorrindo.
A Velha olha para dentro da caneca.
- Só isso?! Que miséria!
Koburo para e tira o sorriso que lhe prevalecia anteriormente.
- O QUE HÁ DE ERRADO COM VOCÊS?! – berra isso sem ao menos virar-se para a Velha.
Ele está ofegante.
Todos estão o olhando. Ele abre a lista e a olha para se esconder dos olhares de reprovação dos demais.
Ele anda assim até chegar a um pequeno edifício no final da rua.
“RTG – Seu correio local”
- Ah, então é um lugar onde se recebem e enviam e-mails... – diz Koburo a si mesmo
Ele olha para seu relógio: 16:00:07
- Ainda estou a tempo de salvar a vida de quem está em dúvida entre a vida e a morte... – Pensa Koburo respirando fundo – Estranho ele estar em um correio – diz ele em voz baixa.

CAPÍTULO 3:



Caractere 3: Um Amigo



Começa a chover fraco.
Koburo entra no correio e ao fundo se toca uma música suave.
Só há um Funcionário presente.
Koburo se aproxima.
- O que deseja? Enviar ou receber? – diz o funcionário que parecia energético.
- É meio difícil ser ele, mas eu vou perguntar – pensa Koburo – Eu sou Koburo, foi você q... – diz
- Ah, Koburo! Uma Moça deixou uma correspondência para você!
- Uma Moça?... Que me conhece?!... – pensa Koburo.
- Espera um instante que eu vou ver aqui – diz o Funcionário se abaixando e mexendo em uma caixa.
Koburo olha para uma frase que está escrita em uma faixa presa à parede:
“A salvação só depende de teus atos, de tuas escolhas”
O Funcionário se levanta segurando um envelope.
- Aqui está senhor Koburo – ele entrega o envelope à Koburo – se não for para o senhor, por favor, devolva.
-?
- A Moça que me entregou isso não deu descrição do destinatário, então... Pode não ser o senhor.
- Tudo bem! – diz Koburo dando um sorriso – Qual é o autor daquela frase? – diz apontando para a faixa lida anteriormente...
O funcionário dá uma olhada.
-Ah, não sei, deve ser de algum desses filósofos antigos...
Os dois riem.
Koburo olha o envelope.
- Como era a Moça que lhe entregou isso?
- Ah... – O Funcionário segura o queixo e olha para cima – muito bonita!
- Obrigado!
Koburo diz e sai da loja e fica debaixo da marquise.
- Ohhh! Grande descrição a dele... – pensa.
Koburo abre o envelope e tira um papel com vários caracteres.
- Droga! Está em outra língua!
Koburo olha para ver se acha assinatura. Nada.
- E agora... Aqui na cidade não tem tradutores... A não ser... Hentei... – pensa Koburo.
Ele guarda o e-mail dentro do envelope.
- Ele é um poliglota e trabalha fora do país como professor de línguas. Nesta época do ano ele volta para casa, aqui em Oiko. – pensa ele.
Koburo acena para um taxi e entra no primeiro que para.
- Avenida Hashima, por favor. – diz Koburo ao Taxista.
- Há anos não nos falamos... Desde a morte dos meus pais... – pensa Koburo e um flash de lembrança invade sua cabeça. Há fogo. – como ele deve estar agora? Será que casou e tem filhos? Ou só vive para o emprego?
O táxi dá uma freada brusca.
- Desculpe senhor Koburo... Sabe a chuva atrapalha a visão. Uma criança passou correndo aqui em frente!... – diz o Motorista.
- Sem problemas Kraz – diz Koburo sorrindo.
Kraz vê o envelope na mão de Koburo através do retrovisor.
- Vai visitar alguém senhor Koburo?
- Ah, sim. O Hentei.
- Hentei! Nossa faz tempo que vocês não se vêem! Desde o incidente na ponte 13, não é?
- Sim.
- Diga que mandei um abraço para ele! E meus pêsames também...
- Pêsames? – pensa Koburo.
O carro para.
- Pronto é aqui.
- Quanto que foi?
- Não, não. Essa fica por cortesia da casa, considere como um presente de Natal adiantado! – Kraz sorri.
- Obrigado senhor Kraz! – Koburo retribui o sorriso – Há horas que percebemos que realmente existem pessoas boas. Amigos, uma das velas acesa em meio à escuridão – reflete Koburo olhando o rosto de Kraz.
Koburo corre, cobrindo a cabeça com a jaqueta protegendo com toda a cautela a carta, e para debaixo de uma marquise.
Ele toca a campainha da casa de Hentei.
Pelo vidro fosco percebe-se uma silueta de baixa estatura se aproximando da porta.

XD...muito bom.!
gostei muito, parabéns..=)

Ver perfil do usuário

#86 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 10/12/2012, 8:41 pm

Rithi

Moderador
Moderador

avatar
Bem Lilly odeio dizer isso mais é proíbido comentar um topico parado a mais de uma semana! É minha obrigação adverte-la, mais nao faça mais e nada ocorrerá ok? ;) rs'


__________________________________________________________________________________________________
ZANGETSU!

Hey, vejam meus roteiros:

Okaruto Igaku
Virtual Magic
Mytsug a Era Lendária
Atheist
Ver perfil do usuário http://rrithisousa.blogspot.com

#87 Re: LAST EMAIL (roteiro) em 3/1/2013, 7:02 pm

LLawliet

Usuário Nível 3
Usuário Nível 3

avatar
caraca, ta bem tenso, vc é bom pra criar roteiros!

Ver perfil do usuário

Conteúdo patrocinado



Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 2 de 2]

Ir à página : Anterior  1, 2


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum